segunda-feira, 12 de novembro de 2018

YULE - Solstício de Inverno



Boa Noite Morceguinho


(21 de Dezembro) H. Norte / (21 de Junho) H. Sul

O altar é decorado com plantas como pinho, alecrim, louro, zimbro e cedro, os quais podem ser utilizados para marcar o Círculo de Pedras. Folhas secas também podem ser colocadas sobre o altar. Encha o caldeirão - no altar e sobre uma superfície à prova de fogo (ou diante do altar se for muito grande) - com algum líquido inflamável (álcool), ou então coloque urna vela vermelha em seu interior. 

Em rituais externos, prepare uma fogueira sob o caldeirão, a ser acesa durante o ritual. Prepare o altar, acenda as velas e o incenso, e crie o círculo de Pedras. Recite o Canto das Bênçãos. Invoque a Deusa e o Deus. De pé, diante do caldeirão, contemple seu interior. Diga estas palavras ou outras semelhantes:
 Não me aflijo, embora o mundo esteja envolto em sono. Não me aflijo, embora os ventos gélidos soprem. Não me aflijo, embora a neve caia dura e profunda. Não me aflijo, logo isto também será passado.
 Usando, mais uma vez, qualquer das invocações encontradas nas Orações, Cantos e Invocações, ou suas próprias palavras.



Acenda o caldeirão (ou a vela), usando fósforos longos ou uma vela. Enquanto as chamas crepitam, diga: 
Acendo este fogo em Sua honra, Deusa mãe. Você criou vida a partir da morte; o calor do frio; O sol vive novamente; o tempo de luz está crescendo. Bem-vindo, Deus Solar que sempre retorna! Salve, mãe de Tudo! 
Circule o altar e o caldeirão lentamente, no sentido horário, observando as chamas. Repita o seguinte por algum tempo: 
A roda gira, o poder queima. 
Medite sobre o Sol, sobre as energias ocultas que adormecem durante o inverno, não apenas na Terra, mas em nós mesmos. Pense no nascimento não como o início da vida, mas sim como sua continuação. Dê as boas-vindas ao retorno do Deus. Após algum tempo, pare e, novamente de pé diante do altar e do caldeirão no fogo, diga: 
Grande Deus do Sol, saúdo o Teu retorno. Que brilhes sobre a Deusa; Que brilhes sobre a Terra, Espalhando as sementes e fertilizando o solo. A Ti Todas as bênçãos, Ô Renascido do Sol! 
Trabalhos de magia, se necessários, podem-se seguir. Celebre o Banquete Simples. O círculo está desfeito.

 Folclore do Yule 


Uma prática tradicional do Yule é a criação de uma árvore do Yule. Pode ser uma árvore viva, envasada e que possa posteriormente ser plantada no solo, ou mesmo uma cortada. A escolha é sua.

Pode ser divertido fazer a decoração apropriada de Wicca com cordões de botões de rosa secos e varetas de canela (ou pipoca e uvas-do-monte) como guirlandas, até saquinhos com ervas aromáticas a serem pendurados em ramos. Cristais de quartzo podem ser enrolados em barbantes brilhantes e suspensos de galhos para parecerem com pedaços de gelo. Maçãs, laranjas e limões pendurados em galhos constituem decoração surpreendentemente bela e natural, e eram comuns em tempos antigos. Muitos apreciam o costume de atear fogo ao tronco de Yule. Esta é uma representação gráfica do renascimento do Deus a partir do fogo sagrado da Deusa Mãe. Se desejar queimar um, escolha um tronco apropriado (tradicionalmente carvalho ou pinho). Esculpa ou risque um desenho do sol (como um disco com raios) ou do Deus (um círculo com chifres ou a figura de um homem) usando o punhal de cabo branco, e queime-o na fogueira ao anoitecer do Yule. Enquanto o tronco arde, visualize o sol brilhando dentro dele e pense sobre os dias quentes que se aproximam. No que diz respeito à comida, castanhas, frutas como maça s e peras, bolos de castanha embebidos em cidra e (para os não vegetarianos) carne de porco constituem cardápio tradicional. Wassail, chás de hibisco ou gengibre são bebidas adequadas para o Banquete Simples ou para a refeição do Yule.

Tenha bons sonhos ...

 (Extraído do Livro Guia Essencial da Bruxa Solitária - Scott Cunningham) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário